Nos últimos anos, o glúten tem aparecido na mídia como um vilão da saúde. Muitas pessoas estão substituindo ou diminuindo o consumo dessa proteína, mesmo sem saber o que ela é e quais são suas ações no organismo. Por estar presente nos alimentos que contém farinha de trigo, centeio ou cevada – ou seja, praticamente tudo -, muitos mitos são criados dele, como a sensibilidade a glúten. Vamos esclarecer as verdades sobre esse tema e explicar quem realmente precisa se preocupar e se beneficiar tirando esse item do cardápio.

O que é glúten

O glúten nada mais é do que uma proteína – ou um conjunto delas – presente especialmente no trigo, mas também no centeio e na cevada. Os pratos que têm como base de preparo esse item ou sua farinha costumam ser ricos nele e estão sendo apontados como vilões do bem-estar físico atualmente. Para retirá-lo da dieta, vários produtos estão sendo produzidos como substitutos, principalmente da farinha. Seja por desinformação ou necessidade, estão gerando altas vendas, ainda que a um preço muito alto.

Doença celíaca

É uma patologia do intestino delgado, acelerada pelo consumo de glúten. Existem dobras intestinais microscópicas, chamadas vilosidades, que têm como função aumentar a área de contato do alimento com o intestino, para que ele possa ser absorvido. Em pessoas celíacas, o glúten inflama essa região, por meio de uma reação imunológica, tornando muito mais difícil o aproveitamento dos alimentos e causando diarreia. Podem ocorrer casos de desnutrição severa, como também anemias e similares. Essa é uma doença que precisa ser controlada e seu manejo não é tão complicado quando parece.

Sensibilidade sem doença celíaca

A grande discussão do momento é que existem pacientes que se mostram problemáticos no que se refere ao glúten, mesmo sem apresentar o quadro de doença celíaca. Essas pessoas demonstram problemas digestivos quando ingerem a proteína, mas não apresentam os marcadores biológicos típicos dos doentes e, quando examinadas, demonstram ter um intestino delgado normal.

Os principais sintomas desses pacientes são dores abdominais, distensão abdominal, desconforto, diarreia, dor de cabeça e erupções cutâneas. A esse quadro se dá o nome de sensibilidade a glúten não celíaca e esses indivíduos devem também excluir alimentos que contenham a proteína.

Você tem esses sintomas ou conhece alguém que tenha?

Se você se identificou com os sintomas citados aqui ou conhece alguém que os sinta, não perca tempo, procure seu médico e faça o teste de sensibilidade. Pessoas que realizam o diagnóstico conseguem levar uma vida de excelente saúde desde que excluam o glúten definitivamente de sua dieta. Cada vez fica mais fácil achar aqueles pratos de que você gosta, com o mesmo sabor e visual, mas sem essa proteína que faz tanto mal a algumas pessoas. Portanto, se for o caso, construa um novo plano alimentar com base nessa ausência e sinta-se mais saudável do que nunca, seu intestino agradece.

Ficou com alguma dúvida sobre glúten, quer deixar uma sugestão ou dica? Use os comentários abaixo para compartilhar suas informações.

Mais disposição com GreenCoffee Slim!

Comentários

Comentários