Exhausted runner

 

As dietas sem carboidratos são as mais procuradas por quem quer perder peso de maneira rápida e eficiente. A retirada deste tipo deste macronutriente da alimentação permite que o indivíduo reduza ingestão calórica e, consequentemente, peso, mas será que isto é feito de maneira segura para a saúde?

O que é o carboidrato?

Antes de começar a discutir os riscos de uma alimentação sem carboidratos para a saúde, é importante entender o que é este composto e qual a sua função no nosso metabolismo. O carboidrato é, resumidamente, uma grande molécula formada por várias glicoses. A glicose, ao contrário do que imaginamos, é o composto mais importante para geração de energia necessária para o funcionamento do nosso organismo. Sem glicose não há vida, e sem carboidrato, menores são as chances de ingerirmos as quantidades necessárias de glicose por dia.

Função do carboidrato no metabolismo

O carboidrato, além de ser a fonte principal de energia (ou ATP) para o nosso corpo, como discutimos acima, é essencial para uma outra ação metabólica muito desejada por quem procura reduzir o peso: a queima de gorduras. A mobilização das nossas reservas lipídicas (aquelas gordurinhas indesejadas) só é possível com a ingestão de um composto químico que só se encontra com a quebra de um carboidrato. Trocando em miúdos, sem a ingestão adequada de carboidratos também não é possível queimar as reservas de gorduras do nosso corpo. Quando este composto não está disponível, o organsimo se prepara para produzir energia através de outro macronutriente: as proteínas. Por este motivo, sem carboidratos não queimamos gordura e queimamos proteína.

Riscos de uma alimentação sem carboidrato

O risco imediato da exclusão do carboidrato da nossa alimentação é a diminuição da produção de energia. As nossas reservas de glicose, conhecidas também por glicogênio, são esgotadas muito rapidamente por nosso organismo, por ser fonte imediata de ATP, e em dietas restritivas, estas reservas duram um período ainda menor. Por isso sentimos mais cansaço, mal estar e indisposição para realizar nossas atividades diárias, por mais simples que sejam. As dores de cabeça também são frequentes em uma dieta com baixa ingestão deste macronutriente. Além da queda brusca de energia, a alimentação sem carboidratos é responsável por aumentar a perda de massa muscular, graças a inibição do metabolismo das gorduras (conforme discutimos no item acima). É importante entender que um indivíduo em dieta com baixa ingestão de carboidratos perde peso porque está reduzindo sua massa muscular, e não sua massa de gordura, e esta situação não é benéfica para a saúde.

Devo reduzir a ingestão de carboidratos?

Você deve estar se perguntando porque então, quando resolvemos perder peso, é necessário controlar a ingestão de carboidratos, já que eles são tão essenciais para a saúde? A resposta é simples: o hábito alimentar do brasileiro tem como principal característica o consumo elevado de carboidratos, ingerimos mais calorias oriundas deste tipo de alimento do que de proteínas e gorduras. Qualquer ingestão excessiva (de carboidratos, carnes ou gorduras) vai ser transformada em reserva energética, por isto a nossa alimentação deve ser equilibrada. É necessário realizar uma redução da ingestão de carboidratos  caso ele seja consumido em excesso, e portanto, responsável por gerar reservas adiposas. Para que este controle alimentar seja feito com segurança é interessante procurar a ajuda de um profissional da saúde, de preferência um nutricionista.

Você conhece alguém que segue uma dieta com baixo teor de carboidratos? Já seguiu e não teve resultados desejados? Conte sua experiência pra gente!

Mais disposição com GreenCoffee Slim!

Comentários

Comentários