Uma das batalhas mais duras que a medicina atual enfrenta é com o aumento significativo no número de pessoas com quadros de sobrepeso e obesidade.

Como esses perfis corporais são responsáveis por grande parte do desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis — como a diabetes, a hipertensão e a hipercolesterolemia —, alternativas clínicas e farmacológicas para controlar o peso estão sempre sendo testadas e procuradas pela ciência médica.

Uma das recentes descobertas científicas no campo do tratamento do controle de peso é o propionato, que tem sido apontado por alguns especialistas como uma possível nova oportunidade de controle do apetite e ganho de peso de alguns pacientes.

Descubra o que é esse composto e como ele atua no seu corpo:

O que é o propionato?

É um hormônio fisiológico, produzido pelo nosso corpo através da fermentação de fibras alimentares consumidas através da alimentação.

As bactérias do nosso trato gastrointestinal usam as fibras para se alimentar e produzem, após metabolizar essas estruturas, o hormônio propionato.

Acredita-se que esse hormônio é capaz de controlar os níveis de colesterol sanguíneos, controlar a formação de novas células de gordura e também reduzir o nosso apetite.

Como ele age no organismo?

A produção do propionato, através da fermentação das fibras alimentares pelas bactérias do nosso intestino tem se mostrado bastante eficiente no controle do nosso apetite.

Acredita-se que o aumento da secreção desse composto metabólico seja capaz de acelerar a produção de dois outros hormônios (o peptídio YY e o GLP-1), que participam diretamente da redução da ingestão de calorias diárias e consequente redução do peso, especialmente em adultos.

Uma pesquisa sobre o trato gastrointestinal, publicada em uma das revistas científicas mais importantes do mundo, a GUT, conseguiu mostrar os efeitos de níveis elevados de propionato no organismo humano.

Um grupo de 24 pessoas com sobrepeso recebeu, durante 24 semanas, uma dose controlada de propionato (associada à inulina, para facilitar sua digestão) e foram observadas as respostas metabólicas do organismo para o aumento da concentração desse metabólito no corpo.

Ao final das 24 semanas, os voluntários escolhidos para esse estudo, quando comparados com outros indivíduos que realizaram as mesmas refeições e rotinas físicas do grupo de estudo (porém sem a ingestão do propionato), apresentaram redução importante do apetite e, consequentemente, perderam peso corporal total.

A presença do propionato na alimentação do grupo de estudo foi apontada como a responsável pela redução da ingestão calórica diária nesses pacientes, mesmo que eles tenham sido autorizados a consumir a mesma quantidade de alimentos que o grupo controle (indivíduos que, ao final do estudo, ganharam peso).

Quais são os tipos de propionato?

O propionato é um antigo conhecido da medicina, utilizado no tratamento de outras situações clínicas, que não somente o controle do apetite.

Ele funciona como um corticosteroide, adicionado a hidratantes e cremes para inflamações na pele, como dermatites, psoríases e eczemas.

Além disso, também tem sido bastante procurado por praticantes de atividades físicas por funcionar como um esteroide, já que acredita-se que sua associação com a testosterona pode aumentar a produção de massa muscular e força corporal.

Essa segunda forma da utilização do propionato, entretanto, é desencorajada por médicos e profissionais da área da saúde, já que pode ser prejudicial para a saúde.

Como se beneficiar da concentração de propionato?

A melhor maneira para se beneficiar da maior concentração de propionato no organismo, para aumentar o controle do apetite, é valorizar o consumo de fibras alimentares na sua dieta, priorizando carboidratos integrais, vegetais, legumes e frutas, que são alimentos ricos nesse composto que estimula a produção do hormônio regulador.

Você conhecia o propionato? Já sabia dos efeitos desse hormônio no seu apetite? Deixe seu comentário sobre o assunto!

Mais disposição com GreenCoffee Slim!

Comentários

Comentários