A ideia de que existe uma comunidade de bactérias no seu intestino pode parecer esquisita e até meio nojenta para você, mas a verdade é que os micro-organismos que compõem a sua flora intestinal são muito importantes para a sua saúde.

Por isso, veja tudo o que você precisa saber para cuidar da sua flora e, assim, manter o seu intestino em bom funcionamento e a sua saúde em dia. Venha ver!

O que é e de onde vem a microbiota intestinal?

A nossa flora intestinal é composta por cerca de 500 espécies de bactérias.

Esses micro-organismos normalmente entram e se desenvolvem no nosso corpo assim que nascemos, sendo que os bebês que nascem por parto normal tendem a ter sua flora intestinal estabelecida mais rapidamente do que aqueles que nascem por cesariana.

Mas antes que você se assuste, saiba que esses “bichinhos” não são parasitas — que prejudicam a nossa saúde para manter a deles — e nem mesmo comensais — que vivem sem trazer benefícios nem prejuízos ao hospedeiro, isto é, à gente.

A nossa relação com esses micro-organismos, na verdade, é chamada de mutualística, já que tanto eles quanto nós tiramos proveito dela. A seguir, você vai descobrir como exatamente isso acontece.

Para que servem esses micro-organismos?

Para as bactérias e seres vivos que compõem a nossa flora intestinal, morar no nosso copo vale a pena porque ele é um ambiente com acidez e temperatura ideais para que sobrevivam.

Além disso, os próprios alimentos que nós comemos servem para nutrir a flora — apesar de que, como veremos mais adiante, alguns deles são mais benéficos que outros para a manutenção de sua saúde.

Do nosso lado, a flora intestinal é benéfica para nós na medida em que fermenta fibras que não conseguimos absorver — desempenhando um papel importantíssimo na nossa digestão — e impede o crescimento de bactérias que trazem doenças (ou seja, patogênicas) no nosso trato intestinal.

A nossa flora também produz algumas vitaminas que são aproveitadas por nós, como a vitamina K, e a a ação dos micro-organismos da flora intestinal previne lesões na mucosa intestinal, regula o crescimento do nosso intestino, aumenta a nossa imunidade e previne alergias alimentares.

Para entender um pouquinho melhor a função da flora intestinal no nosso corpo, vamos dar uma olhada rápida no funcionamento da nossa digestão.

Como funciona o nosso sistema digestivo e por que a flora intestinal é importante?

A digestão dos alimentos já começa na nossa boca, através da mastigação, dos movimentos da nossa língua e da ação da nossa saliva, que quebra o amido dos alimentos.

Depois disso, a próxima fase acontece na faringe e no esôfago, que são basicamente tubos que vão da boca ao estômago, transformando os alimentos já mastigadinhos!

Pode parecer irônico, mas o estômago é um órgão super musculoso, já que precisa realizar várias contrações para misturar os alimentos com o suco gástrico e, assim, digerir as proteínas da comida!

Quando isso acontece, o alimento vai para o nosso intestino, e é aí que a ação da nossa flora intestinal começa a fazer diferença.

A primeira fase da digestão no intestino passa pelo intestino delgado. Lá, com a ajuda de secreções expelidas pelo pâncreas e pelo fígado, o bolo alimentar se transforma, e os carboidratos, lipídios e proteínas são digeridos.

No intestino grosso é que se encontra a maior parte da nossa flora intestinal. Lá, sais minerais como o sódio e o potássio são absorvidos, assim como boa parte da água do bolo alimentar, formando as fezes.

A flora intestinal é indispensável nesse processo, já que é ela que fermenta e decompõe os restos de alimentos que o nosso corpo não absorveu (como as fibras alimentares), ajudando-nos a obter vitaminas que não conseguiríamos sem a sua ajuda e controlando aspectos como o pH do intestino.

Os benefícios da flora intestinal na nossa saúde

Como resultado da ação da flora intestinal, experimentamos benefícios como:

  • Regulação do trânsito intestinal, fugindo da constipação;
  • prevenção de infecções e doenças no cólon;
  • eliminação de toxinas;
  • prevenção de desconfortos como gases e diarreias;
  • aumento da imunidade;
  • redução da absorção do colesterol ruim;
  • e até melhorias no aspecto da nossa pele!

Viu como os seres vivos que compõe a flora são muito mais do que bichinhos que vivem na sua barriga? Então prepare-se para descobrir as consequências da falta de cuidado com eles!

O que acontece quando a flora intestinal sofre um desequilíbrio?

Quando nossa flora intestinal é afetada de alguma maneira, sofremos a chamada disbiose, que indica um desequilíbrio na comunidade de micro-organismos que habita o nosso intestino.

Como consequência, enfrentamos uma maior proliferação de micro-organismos nocivos no sistema digestivo — podendo levar a infecções e outras doenças —, problemas de digestão, baixa na imunidade, dificuldade em absorver certos nutrientes e, em casos mais graves, pode ser desencadeada a síndrome de hiperpermeabilidade intestinal.

Essa síndrome é um dos piores efeitos da disbiose, e pode levar a agravantes como:

  • Inflamações na mucosa intestinal;
  • desnutrição crônica;
  • desenvolvimento de doenças autoimunes;
  • e alergias graves.

Sintomas

Quem começa a enfrentar um quadro de disbiose na flora intestinal pode experimentar sintomas como:

  • Cansaço crônico (causado pela falta de vitaminas);
  • diarreias recorrentes;
  • perda de peso;
  • dores abdominais;
  • problemas para dormir;
  • e até princípios de ansiedade ou depressão.

Causas

As principais causas da disbiose estão relacionadas à má alimentação, mas também podem ter a ver com o tratamento de alguma outra doença por meio de antibióticos, com tabagismo ou alcoolismo. De qualquer modo, ela é causada pelo consumo excessivo de:

  • Açúcar refinado;
  • carboidratos refinados;
  • gorduras saturadas;
  • alimentos que contêm agrotóxicos;
  • antibióticos, anti-inflamatórios e antiácidos;
  • cigarro e outras drogas que contêm nicotina;
  • assim como bebidas alcoólicas.

Por esse motivo é tão importante cuidar da sua alimentação para que a sua flora intestinal não entre em desequilíbrio!

Tratamento

Quando é identificado um quadro de disbiose em alguém, geralmente é preciso que essa pessoa adote uma dieta rica em fibras alimentares, com ingestão regular de água, e que não contenha bebidas alcoólicas, narcóticos, carne vermelha, leite de vaca nem de cabra (e seus derivados), alimentos processados e açúcar refinado.

Além disso, quase sempre é necessário estimular o crescimento das bactérias benéficas no trato intestinal por meio da ingestão de produtos probióticos. Esses produtos podem ser cápsulas feitas em laboratórios ou alimentos que contenham pequenas populações das bactérias benéficas da flora intestinal.

Os probióticos — ao contrário dos antibióticos, que visam matar os micro-organismos — são como pequenos berçários externos dos seres vivos benignos, que abrigam-se no nosso intestino e multiplicam-se por lá para recuperar a nossa flora. Durante o tratamento da disbiose, portanto, o uso de medicamentos como anti-inflamatórios e antibióticos precisa ser reduzido.

Com manter a saúde da minha flora intestinal?

É claro que, em alguns casos, a disbiose pode não ter nenhuma relação com a sua alimentação ou seus cuidados com a sua saúde — como acontece quando alguém passa por um tratamento com antibióticos e tem a flora intestinal prejudicada. Porém, de qualquer forma, o ideal é prevenir-se cuidando com carinho dos micro-organismos que fazem parte da sua flora, certo?

Para isso, é preciso evitar o consumo dos alimentos que estimulam o desequilíbrio, não exagerar nas bebidas alcoólicas, se possível, eliminar o cigarro do seu dia a dia, praticar exercícios físicos regularmente, beber de 2 a 3 litros de água por dia e cuidar muito bem da sua alimentação.

10 alimentos que te ajudam a cuidar da flora intestinal

E se alguns alimentos são prejudiciais à flora intestinal, a boa notícia é que também existem aqueles que trazem benefícios a ela! Confira 9 deles aqui:

Alcachofras

Sabe aquele vegetal esquisito, que mais parece uma bromélia comestível? Pois além de ser super detox e render receitas saborosas, a alcachofra ainda é um excelente prebiótico! Isso significa que ela tem tudo o que a sua flora intestinal precisa para se alimentar e crescer, fortalecendo o seu sistema imunológico, beneficiando a sua digestão e prevenindo a disbiose.

Cereais integrais

Por conterem uma grande quantidade de fibras, os cereais integrais ajudam a manter a flora intestinal alimentada e funcionando a todo vapor! Eles estão presentes não só nos pães integrais, mas também nas massas integrais, barrinhas de cereal, na aveia ou granola que você polvilha no iogurte e em outros grãos integrais.

Microalgas

Talvez você já tenha ouvido falar de um pozinho verde chamado spirulina que aparece principalmente em filmes de super-herói como Batman e o Homem de Ferro (tem spirulina naqueles shakes verdes que eles tomam nos filmes).

E não é por acaso que o pozinho está associado aos super-heróis: ele é um alimento feito com microalgas marinhas e que, além de trazer diversos benefícios para a saúde, é um excelente probiótico!

Alho e cebola

Essa dupla dinâmica da gastronomia são grandes aliados de quem quer reduzir o consumo de sal no dia a dia, mas suas vantagens não param por aí: tanto um quanto o outro são ótimos prebióticos, sendo essenciais para manter a saúde da sua flora bacteriana!

Frutas cítricas

Além de conter ainda mais fibras para alimentar a sua flora intestinal, frutas como a tangerina, a laranja, o limão e a acerola são ricas em colágeno — que é usado pelas bactérias benéficas na formação das paredes do nosso intestino — e ainda ajudam a prevenir a multiplicação de células cancerígenas.

Milho

Cozido, em lata ou na forma de pipoca fit (sem ser de micro-ondas), o milho é um dos alimentos mais ricos em fibras: ½ xícara dele já tem cerca de 1,5g de fibras alimentares. Além disso, ele também tem propriedades antioxidantes e ajuda a aumenta a nossa imunidade, acredita?

Castanha-do-Pará

A castanha-do-pará tem aproximadamente 8g de fibras em cada 100g de alimento, mas não é só isso que faz dela um excelente aliado da sua flora intestinal. O melhor é que esse alimento é rico em selênio, um antioxidante que ajuda a evitar danos na mucosa do intestino!

Soja

Outra que ajuda a cuidar do tecido das paredes do sistema digestivo é a soja. Ela também tem uma quantidade considerável de fibras alimentares e pode ser consumida na forma de leite de soja ou cozida, por exemplo.

Banana

Se a banana prata madura ajuda a prender o intestino de quem sofre de diarreias frequentes, a banana da terra madura dá aquele empurrãozinho na vida de quem sofre de prisão de ventre. Mas não é só isso! A banana verde (ou a farinha preparada com ela) também ajuda a normalizar desequilíbrios na flora intestinal.

Iogurtes

Grande parte dos iogurtes comercializados no Brasil é produzida por meio da fermentação do leite. Isso faz desses produtos lácteos excelentes probióticos, capazes de estimular a reprodução dos micro-organismos benéficos no nosso organismo. Além disso, alguns iogurtes possuem ainda uma dose extra de probióticos na receita, para favorecer ainda mais a sua flora intestinal.

Viver em uma relação mutualística com os micro-organismos da nossa flora intestinal significa cuidar deles para que eles cuidem da gente, e longe de ser uma “opção”, deixar a flora bacteriana do seu intestino saudável é um critério necessário para o seu próprio bem-estar e até sobrevivência, já que, sem ela, o seu corpo não consegue realizar várias funções essenciais da digestão.

Agora que você já sabe como manter a saúde desses seres vivos minúsculos dentro de você, não deixe de comentar dizendo se ainda tem alguma dúvida sobre esse assunto e continue ligado no nosso blog para mais dicas e novidades!

Mais disposição com GreenCoffee Slim!

Comentários

Comentários