Pesquisadores da Suíça revelaram recentemente que mudanças nos hábitos alimentares podem ajudar não só a perder peso, como também a reforçar sua memória. Se você tem ela enfraquecida e passa por apuros devido aos esquecimentos, saiba que uma alimentação saudável e balanceada, junto à frequência de exercícios físicos pode, além de deixar você com o corpo em forma, vai ajudar na melhora da sua memória.

O peso influencia o cérebro

A perda de peso pode influenciar diretamente no funcionamento do cérebro, melhorando o desempenho da memória. Para chegar a esse resultado, os pesquisadores acompanharam 20 mulheres, todas acima do peso e com idade média de 61 anos, durante seis meses, período no qual elas foram submetidas a uma dieta de alimentação balanceada.

Testes de memória foram aplicados nas pacientes antes e depois da dieta. Neles, pediu-se para que memorizassem uma série de nomes e rostos, e depois tiveram que associar os nomes às pessoas enquanto eram submetidas a uma ressonância magnética.

Resultados

As participantes que perderam uma média de 8 kg tiveram as melhores pontuações nos testes. Além disso, as atividades cerebrais dessas mulheres se mostraram mais eficazes quando eram estimuladas a aprender coisas novas, e menos ativas quando precisavam se lembrar de alguma memória antiga. Para os cientistas, isso sugere que, com a perda de peso, os cérebros se tornam mais eficazes em construir novas lembranças e passam a exigir menos esforço para relembrá-las.

Outro estudo, feito nos Estados Unidos, comparou os desempenhos de pacientes ex-obesos que passaram por cirurgias bariátricas com indivíduos obesos que não passaram pela cirurgia de redução do estômago. Avaliações feitas antes e 12 semanas após a cirurgia, mostraram uma melhora significativa na memória desses indivíduos, enquanto que, os que não fizeram a cirurgia, tiveram uma leve piora no desempenho da memória.

Mais dados

Essas não foram as únicas vezes que estudos associaram a perda de peso à saúde do cérebro. Uma pesquisa divulgada em 2010, pelo Hospital das Clínicas de São Paulo, já havia avaliado a memória de 22 idosos considerados obesos. Durante seis meses, os pacientes tiveram acompanhamento nutricional e realizaram atividades físicas.

Após esse período, suas memórias voltaram a ser analisadas e os resultados apontaram que aqueles que perderam mais peso (pelo menos 5% em relação ao peso inicial) apresentaram melhoras mais expressivas no desempenho das provas.

A influência dos hormônios

A explicação para os resultados, segundo os pesquisadores, é que a perda de massa gorda pode reduzir a resistência à insulina, que é um hormônio facilitador do funcionamento das células cerebrais.

Outra pesquisa, desenvolvida por estudiosos da Universidade Católica de Brasília, também apontou que a gordura abdominal prejudica a memória. Para chegar a esses resultados, os pesquisadores avaliaram 301 mulheres que já haviam ultrapassado a menopausa em uma bateria de testes físicos.

Além de peso, altura e circunferência abdominal, as participantes também foram submetidas a um exame que analisava seu estado mental. Os resultados mostraram que as mulheres com maior obesidade abdominal também eram as que tinham os piores desempenhos de memória.

Viu só? Perder peso pode ser muito mais do que uma questão estética! Se você tem problemas de memória, que tal começar a repensar sua alimentação e inserir exercícios físicos ao seu dia a dia? Não perca tempo! Se você ficou com alguma dúvida, ou tem alguma sugestão, deixe o seu comentário!

 

Mais disposição com GreenCoffee Slim!

Comentários

Comentários