Uma das orientações reforçadas por profissionais da área da saúde para estimular a boa qualidade de vida em seus pacientes é criar o hábito de praticar atividades físicas regularmente. Muitas pessoas escolhem a corrida como sua atividade física favorita, já que a prática é simples e não exige nenhum material especial: apenas um par de tênis confortáveis e um pouco de força de vontade.

Quem se torna um apaixonado por correr tende, naturalmente, a aumentar as distâncias percorridas e os desafios para se tornar cada vez melhor. Entretanto, o esforço realizado para se correr demais pode ser tão prejudicial quanto não praticar exercícios físicos.

Riscos do sedentarismo

Quem já visitou um médico ou um nutricionista pelo menos alguma vez na vida conhece bem os riscos do sedentarismo. Essa situação nada mais é do que a ausência da prática de atividades físicas rotineiras, estimulando a pessoa a permanecer parada por longos períodos.

O sedentarismo aumenta os riscos de desenvolver obesidade, hipertensão, diabetes, atrofias musculares e outras doenças mais graves.

No entanto, dá para se manter ativo com outras tarefas, como mostra essa tabela do G1. Você só precisa escolher um objetivo e começar a combater o sedentarismo!

correr demais

Riscos da atividade física em excesso

A prática de atividades físicas intensas reduz a resposta natural do organismo a doenças, deixando o a pessoa mais susceptível à doenças.

Quem se exercita em excesso também pode lesionar a musculatura, os ossos e produzir muito mais radicais livres do que o normal. Infelizmente eles são produto da atividade física, e por isso cuidar do corpo é tão importante.

Correr demais pode ser prejudicial

Já que a prática de atividades físicas em excesso pode ser um risco para a saúde humana, é natural supor que a corrida em excesso também tenha seus pontos negativos para o organismo.

Foi pensando nisso que pesquisadores do Hospital Frederiksberg, de Copenhague na Dinamarca, desenvolveram um estudo para avaliar os efeitos da corrida na saúde de 5000 participantes do projeto.

Nessa pesquisa, cerca de 1000 participantes eram praticantes regulares de corrida, enquanto cerca de 4000 tinham hábitos de vida sedentários. Esses hábitos foram acompanhados por 12 anos e os resultados mostraram que os indivíduos que corriam de maneira moderada e com ritmo constante apresentaram menores riscos de morte quando comparados com aqueles que não praticavam atividades físicas.

Entretanto, os indivíduos que corriam de maneira intensa (com velocidades acima de 11km/h) por três vezes na semana apresentavam o mesmo risco de morrer quando comparados com os sedentários.

O aumento desse risco foi relacionado com as mudanças promovidas pela atividade física em excesso no tecido do coração e das artérias desses praticantes, prejudicando o funcionamento do sistema cardíaco como um todo.

O mesmo quadro pode ser observado em maratonistas ou atletas de provas mais longas. Os pesquisadores sugeriam a prática de corrida moderada (até 8km/m) e, no máximo, três vezes na semana para garantir uma boa saúde.

Moderação é o segredo do sucesso

Assim como a alimentação, a prática de atividades físicas também deve ser realizada com moderação. É inegável o poder da corrida e de outros exercícios para influenciar benefícios para a nossa saúde, porém é preciso ter cautela e aprender a respeitar os próprios limites antes de sair correndo por ai.

Portanto, consulte o seu profissional da área para saber que cuidados você deve ter para começar a correr e também a medida certa dos exercícios.

E então, o que você achou dessa descoberta do grupo de pesquisadores do Hospital Dinamarquês? Já imaginava que correr em excesso pode oferecer os mesmos prejuízos que o sedentarismo? Deixe o seu comentário!

Mais disposição com GreenCoffee Slim!

Comentários

Comentários