Pedra nos rins é um problema sério. E, em muitos casos, evitável.

A dor causada pela movimentação dos cálculos renais – como as pedras são chamadas – é considerada uma das piores do mundo, sendo comparada à dor que a mulher sente na hora do parto. A diferença é que, enquanto uma grávida dá à luz a um bebê de quase meio metro e alguns quilos, um cálculo renal fica perto de 1cm.

Por isso, é importante se precaver: grande parte dos cálculos renais são causados por questões relacionadas à alimentação. Por isso, adotando alguns hábitos simples você pode evitar o problema.

É importante ressaltar, porém, que existem vários tipos de cálculos e que a dieta perfeita para o seu caso só pode ser indicada por um médico ou por um nutricionista.

Além disso, alguns não têm relação com a dieta – por exemplo, quem forma pedras nos rins por problemas hormonais.

De qualquer forma, a maioria pode ser evitada com mudanças de hábitos alimentares. E é disso que falaremos aqui.

Beba muita (muita!) água

O cálculo em geral se forma quando a urina está mais concentrada. Se você beber muita água ao longo do dia, fica mais fácil diluir qualquer cálculo que esteja se formando e eliminá-lo antes que se torne um problema.

O ideal é que a ingestão de água seja de, no mínimo, 2 litros por dia (8 copos) ou o suficiente para gerar uma urina bem clarinha todo o dia – se o xixi estiver amarelo, você precisa de mais água!

Esse efeito da água é tão importante que, no verão, quando o organismo fica mais desidratado e a urina mais forte, há um aumento em 30% no número de cálculos renais!

Frutas ricas em água, como a melancia e o melão, e os sucos naturais também são bem-vindos, devendo-se evitar alimentos que contribuem para a desidratação – como refrigerantes e bebidas ricas em sódio.

Tenha uma dieta pobre em sódio

O sódio, presente no sal de cozinha, é inimigo de quem sofre com formação de cálculo renal. Por isso, você deve retirar o saleiro da mesa e optar por outros temperos na hora de cozinhar.

Salsinha, coentro, cebola, hortelã, alho, orégano, alecrim, cebolinha, açafrão, sálvia, pimenta e uma infinidade de outros sabores estão liberados!

Fique atento também aos produtos industrializados, especialmente embutidos e conservas, já que eles costumam esconder muito sódio nos seus ingredientes.

Um pacotinho de tempero de macarrão instantâneo, por exemplo, pode possuir 167% do sódio recomendado diariamente – e, se você sofre ou tem tendência a desenvolver cálculo renal, esse valor diário recomendado de sódio é ainda menor!

Reduza o consumo de proteínas animais

Carne de porco, boi, frango, peixe e até ovos devem ser limitados na dieta já que também aumentam a chance de formação de cálculo renal.

Isso não significa eliminá-los completamente, mas reduzir o consumo e compensar essa mudança buscando fontes de proteínas vegetais, como o feijão e a soja.

Atenção ao consumo de cálcio

Como quase todo cálculo renal é formado de cálcio, muita gente acha que deve reduzir o consumo desse mineral, mas isso não é verdade.

Apenas um grupo bem pequeno (bem pequeno mesmo!) e específico de pessoas se beneficia dessa estratégia, então antes de cortar o leite e o queijo da dieta confira com o seu médico se isso é mesmo necessário.

Na maioria das vezes, a restrição de cálcio altera a absorção de outros nutrientes e gera um efeito paradoxal, aumentando a formação de pedras nos rins.

Nas mulheres, o cuidado deve ser redobrado, já que tirar o cálcio da dieta pode favorecer a desmineralização óssea e causar osteoporose.

E então, você tem alguma dúvida sobre a alimentação em caso em cálculo renal? Deixe o seu comentário!

Mais disposição com GreenCoffee Slim!

Comentários

Comentários