Popularmente conhecida como “efeito sanfona”, a constante variação de peso é um problema enfrentado por muitas pessoas, de todas as idades, sejam homens ou mulheres.

Isso acontece com gente que tem mais facilidade para perder e ganhar peso.

Esse engorda-e-emagrece traz consequências não só para o corpo, como também para o comportamento de quem sofre esse processo.

Veja a seguir 12 situações com as quais só quem sofre ou já sofreu o efeito sanfona vai se identificar.

1. Você ganha muitas estrias pelo corpo. E isso é chato.

Isso mesmo. Quando você engorda, a pele estica; e quando emagrece, a pele retrai. Quando esse processo é constante, a tendência é o aparecimento de estrias no corpo.

Elas nada mais são do que cicatrizes formadas na pele que não deu conta de acompanhar o seu ritmo de ganho e perda de peso.

A parte ruim disso tudo é que as estrias muitas vezes são feias, incomodam e não saem mais. Bom, até existem alguns tratamentos que melhoram o aspecto dessas marcas, mas cura mesmo, não tem não.

2. Você precisa de roupas de diferentes tamanhos

Bom, não podemos dizer que este seja o maior dos problemas. Mas certamente acontece com quem vive no efeito sanfona.

A roupa que hoje tem o tamanho ideal, amanhã não cabe mais – seja porque você ganhou ou porque perdeu peso.

O seu guarda-roupas é imenso, mas não porque você tem milhares de opções, e sim porque você precisa de roupas para cada vez que você perde (ou ganha) peso.

Além de espaço, você também acaba gastando mais… e livrar-se de roupas antigas é sempre uma dor de cabeça maior – vai que você precisa dela de novo, né?!  

3. Você não sabe dizer seu peso normal

Na verdade, você não tem um “peso normal”, aquele habitual, que está na ponta da língua quando o médico pergunta quanto você pesa.

A não ser que você tenha uma balança em casa e se pese todos os dias — o que não é recomendável para ninguém em sã consciência — você não sabe dizer quanto pesa.

4. Você não sabe se classificar como gordo ou magro

No seu caso, peso é uma coisa que fica variando o tempo todo. Tem vez que está você acima do peso, tem vez que está de bem com o espelho. 

É quase como um transtorno bipolar, mas, ao invés de psicológico, é físico.

Os sentimentos de felicidade e tristeza se alternam num piscar de olhos.

Mas lembre-se: o que importa é ter saúde. Se a saúde estiver boa, os rótulos – gordo ou magro – são um problema secundário.

5. No começo da dieta, é mais fácil perder peso…

Afinal de contas, os primeiros quilos são puro inchaço. Tudo por causa daquela retenção de líquido incômoda e insistente.

Mas, legal! Você começa bem e foca na dieta até conseguir chegar no seu objetivo, seja entrar naquela roupa para a festa do próximo fim de semana, baixar o ponteiro da balança ou apenas se sentir mais leve e bem consigo mesmo. Parabéns!

6. …mas basta um final de semana para voltar tudo de novo

Como é que pode? Aquelas 6 semanas de puro sacrifício — sim, porque a dieta a gente conta igual gravidez, em semanas, para dar a impressão de que estamos há muito tempo nessa vida – para perder míseros 5 quilos e eles voltam em dois dias?

O que as leis da física falam sobre isso? Tem que ter algum tipo de explicação!

7. Ver alguém que come de tudo e não engorda é absolutamente irritante

E nada neste mundo é pior do que quando essa pessoa tem a necessidade de esfregar esse fato na cara da sociedade e sair por aí dizendo pra todo mundo “nossa, não sei porque, mas eu como de tudo e não engordo”.

Pra onde será que vão todos esses hambúrgueres, batatas fritas e refrigerantes?

8. Você já aprendeu a lidar com comentários infelizes e desnecessários

Você sempre ouve de alguém: “Nossa, como você emagreceu! Está ótima assim!”, e também “Nossa, você deu uma engordadinha, não foi? O que aconteceu?”.

E o pior é que muitas vezes você escuta esses dois comentários ao mesmo tempo, dependendo de qual era o peso que você tinha a última vez que viu aquela pessoa.

9. Sempre que você ganha roupa de presente, ela não serve

Mas não podemos culpar ninguém, não é mesmo? Afinal de contas, as pessoas nunca sabem o seu tamanho.

É P, M ou G? Não se sabe, depende, varia o tempo inteiro. Mas, se não tiver jeito de trocar, não se preocupe! Volte ao item 2 deste post e se lembre que, em seu guarda-roupas, nada se perde!

10. Você sempre fica com um certo receio das festas de fim de ano

Rabanada, panetone, peru, pernil, pavê… Ah, o pavê! Você tem pânico só de pensar nos quilos que, com certeza, vai ganhar nas festas de fim de ano comendo essas delícias.

Se até as pessoas comuns engordam um pouquinho nessa época do ano, que dirá você, que talvez engorde só de olhar. As festas de fim de ano podem ser um pesadelo!

11. No seu álbum de fotos, tem você de tudo quanto é jeito

Magro, gordo, “cheinho”, muito magro, muito gordo. Enfim, isso só mostra que o tempo passa e você continua na luta. Mas um dia estabiliza!

12. Você paga o plano anual da academia, mas só vai a cada 3 meses

Já deixar tudo pago é mais um incentivo psicológico do que uma economia. Porque você sabe que você não vai o ano todo.

Só quando dá um surto de ânimo, aí você pensa: agora vai! Aí emagrece o que precisa e, com o passar do tempo, vai dando aquela preguiça de voltar a malhar.

Muita gente por aí também sofre desse mal, incluindo celebridades como Christina Aguilera, Jennifer Lopez, Britney Spears e Mariah Carey.

Mas não esqueça: o efeito sanfona pode trazer consequências ruins também para a saúde. Fique de olho e não deixe que isso te prejudique no futuro.

Tente sempre manter uma alimentação equilibrada para evitar esse tipo de problema, pois mudar o estilo de vida e ter hábitos saudáveis duradouros vai mudar sua vida e vai acabar todos esses problemas! 

E você, se identificou com o conteúdo deste post ou é do time das sortudas que não sofrem do efeito sanfona? Compartilhe sua opinião com a gente aqui nos comentários!

Mais disposição com GreenCoffee Slim!

Comentários

Comentários